Não é fácil contabilizar quantos animais vivem abandonados em São Paulo –além da falta de números oficiais, muitos ficam escondidos em terrenos e construções.

Mas dá para ter uma ideia do tamanho do problema, e ele não é pequeno: organizações como o Instituto Luisa Mell chegam a receber cem pedidos de resgate por dia. Três mil por mês. Só que, sozinhas, elas não dão conta.

E aí entram os protetores independentes, que fazem o possível (e o impossível) para ajudar esses bichinhos. Eles dedicam tempo, dinheiro, param o trânsito e pulam muro. Tudo para ajudar animais perdidos a terem uma segunda chance.

Conheça, nos links abaixo, seis histórias inspiradoras.

*

Protetores de animais

Jane Santos e Fênix, resgatada antes da eutanásia Por: Eduardo Knapp 2018-11-22 08:50:59[1 de 12]

Fonte: FOLHA SÃO PAULO