Depois de um dos seus últimos exercícios antes de voltar para casa, a sonda Hayabusa2 finalmente lançou seu último veículo espacial para explorar a superfície rochosa do asteroide Ryugu, e está mais próxima de trazer sua carga de amostras de volta à Terra.

Desde o início da missão, que começou em em junho de 2018, a sonda já implantou outros três landers na superfície do asteroide, antes de começar a coletar suas amostras. A última tarefa é deixar no objeto rochoso seu veículo final, chamado MINERVA-II2.

Esse processo começou na quarta-feira (2), quando a espaçonave principal se aproximou até 1 km acima da superfície do asteroide para liberar o MINERVA-II2 – uma distância muito maior do que na ocasião de lançamento dos veículos anteriores, o MINERVA-II1A e MINERVA-II1B, que foram implantados no asteroide a cerca de 50 metros acima da superfície.

A diferença entre as distâncias não foi por acaso. É que o MIVERVA-II2 está sendo usado para estudar o longo e lento caminho do rover até a superfície de Ryugu, enquanto a sonda principal observa a jornada a uma altitude de 8 a 10 km. A descida demorada também permitirá que os cientistas estudem com mais precisão o campo gravitacional exercido pelo asteroide.Veja mais no MSN Brasil:

Após confirmar o sucesso da manobra, a equipe comemorou nas redes sociais, e publicou uma foto do MIVERVA-II2 capturada pela lente grande angular da câmera de navegação óptica da sonda.

Antes de enviar o veículo de pouso, a Hayabusa2 lançou dois marcadores de alvo no asteroide, em uma manobra de teste realizada em 16 de setembro. Agora que a última tarefa cumprida com sucesso, espera-se que o rover MINERVA-II2 continue trabalhando até 8 de outubro, enquanto a sonda principal deverá voltar para a Terra antes do final deste ano, transportando o recipiente de amostras cheio de pedaços do Ryugu. A previsão é que ela chegue aos desertos do sul da Austrália no final de 2020.

Fonte: Space.com