As pesquisas de tecnologias para permitir a sobrevivência humana em lugares como a Lua e Marte continuam a todo o vapor. Além do cultivo de vegetais em outros mundos, os cientistas tem como um dos principais objetivos encontrar maneiras de construir abrigos capazes de proteger as pessoas da radiação cósmica. Bem, recentemente, pesquisadores descobriram que é possível usar um velho conhecido nosso para essa tarefa: o cimento.

Essa ideia faz bastante sentido, já que o concreto — mistura feita à base de areia, pó de cimento, cascalho, pequenas rochas e água — é forte e durável o suficiente para proteger astronautas contra a radiação e meteoritos. Além disso, pode ser possível fazer a mistura usando materiais disponíveis por lá mesmo, na Lua ou em Marte. Mas o processo pode ser bastante complexo, pois estamos falando sobre microgravidade e componentes alienígenas, cujas estruturas químicas podem não colaborar muito para o resultado final.

Por isso, é preciso testar, e foi o que pesquisadores fizeram na Estação Espacial Internacional (ISS). Como parte de um estudo sobre o assunto, astronautas fizeram concreto em microgravidade pela primeira vez, e mostraram que ele pode sim endurecer no espaço. A autora principal do estudo, Aleksandra Radlinska, professora assistente de engenharia civil na Penn State, disse que uma das ideias é construir as estruturas “com um material semelhante ao concreto no espaço”, dizendo ainda que “o concreto é muito resistente e oferece melhor proteção do que muitos materiais”.

Para esse estudo, chamado de projeto Microgravity Investigation of Cement Solidification, os astronautas da ISS misturaram água com silicato tricálcico, o principal ingrediente mineral em alguns dos cimentos comerciais mais usados. Essa mistura nunca havia sido criada em microgravidade, mas foi bem-sucedida no experimento, que teve como objetivo descobrir como o cimento se formaria em um ambiente de microgravidade. Trata-se de um material bastante complexo, então é preciso saber como a estrutura molecular se forma nessas condições.

Esse estudo também permitiu a primeira comparação entre amostras de cimento criadas na Terra e amostras feitas no espaço. A comparação revelou que o cimento criado na estação espacial tinha microestruturas muito diferentes do cimento feito por aqui, na Terra, sendo que uma das principais características do material feito no espaço é que ele ficou muito mais poroso do que o cimento que conhecemos. Isso não é uma notícia muito boa, já que “o aumento da porosidade afeta diretamente a resistência do material”, conforme disse Radlinska. “Mas ainda precisamos medir a resistência do material formado no espaço”, completou.

De qualquer forma, o cimento espacial endureceu e as pesquisas devem continuar para descobrir quais foram as causas da porosidade. Os cientistas acreditam que, talvez, esse resultado se deve ao fato de o concreto ter sido processado em bolsas plásticas seladas, coisa que não é feita aqui na Terra.

Fonte: NASA