Luan Santana vai gravar o seu novo DVD no próximo domingo, 19, em Salvador. Por isso, para já fazer um o esquenta do que os fãs poderão encontrar no Parque de Exposições no domingo, vamos listar sobre o que já sabemos do DVD “Viva”!

O DVD se chamará “Viva” e refletirá sobre as influências da tecnologia nas relações humanas!

Para este projeto, Luan e sua equipe, assim como a gravadora Som Livre e a Polar Filmes, estão há mais de seis meses no processo que propõe ao público resgatar o afeto perdido (equivocadamente) para a tecnologia. E é justamente a tecnologia que será enaltecida neste contexto: “Com este DVD quero que a música contribua para esta proximidade real. E não a fictícia. Que todos possam viver os momentos, curtir. O que mais temos visto em variados ambientes são as pessoas com celulares nas mãos e não sabendo explorar o bem que a tecnologia nos traz. Vamos fazer uma analogia à época da navegação: eles usaram as suas ferramentas para conquistar o mundo e contribuir para a convivência de todos os povos. Queremos este alerta: naveguem, convivam e, depois, compartilhem para contagiar a todos”, explica Luan Santana.

E é nessa vibe que uma música inédita estará! Segue aqui um trecho

“Vivemos tempos difíceis e os momentos simples não valem de nada, se não publicar. O ego na hora se infla e um elogio idiota já é o combustível para se deslumbrar. Quantas curtidas merecem o primeiro passo de um filho? Almoço em família domingo, quando vamos dar valor pra isso? E olha que ironia: ficar sem amor tudo bem, se o celular tem bateria. Saudade virou coisa antiga nessa proximidade fictícia. Eu tô com saudade de um abraço que não se digita”, diz a letra desta música inédita que sintetiza a proposta que o cantor deseja atingir neste projeto.

Estrutura grandiosa está sendo preparada para a gravação do DVD “Viva”!

Para este projeto, Luan e sua equipe, assim como a gravadora Som Livre e a Polar Filmes, estão há mais de seis meses no processo que propõe ao público resgatar o afeto perdido (equivocadamente) para a tecnologia. E é justamente a tecnologia que será enaltecida neste contexto. Sendo assim, a cenografia valoriza o gigantismo high-tech, com um palco de 100 metros de largura, um dos maiores já vistos por aqui. Em cena, um grande fóssil mecânico terá partes articuladas que vão se desprender ao longo do espetáculo, sendo 22 costelas com uma tonelada de peso em cada. Será uma criatura híbrida – entre cobra e dragão, dinossauro e leviatã, passado distante e futuro CyberPunk, que ganhará vida com movimentos, efeitos e luzes. Filmes como “Blade Runner”, “Minority Report” e a série “Altered Carbon” são exemplos dessa estética do CyberPunk.